Correios decide suspender operações devido à greve dos caminhoneiros

Na manhã desta segunda-feira, 21, vivenciamos a paralisação dos caminhoneiros. Devido aos aumentos sucessivos no preço do diesel, caminhoneiros de todo o Brasil fecharam rodovias, impedindo o tráfego, buscando uma diminuição instantânea nos valores do diesel. Todo esse transtorno começou a afetar não só o tráfego convencional como também as operações dos Correios, o que devem justificar os atrasos nas entregas previstas para esse período. Devido a esse transtorno, a empresa decidiu suspender as operações oficialmente:

Aumento nos prazos de entrega: todas as modalidades de serviço internacional, Sedex, PAC, malote, carta, FAC, impresso, mala direta, Correios Entrega Direta e Remessas Econômica/Expressa

Informamos que os prazos de entrega serão acrescidos de 5 dias úteis em função dos protestos dos caminhoneiros e suas implicações, como falta de combustível nos postos.

A empresa conta com 26,5 mil veículos utilizados para entregas térreas, o que de fato afeta a transação entre eles. Além desses, a empresa contém em média 11 linhas aéreas.

A empresa ressalta em um dos comunicados:

“Estaremos acompanhando todo e qualquer movimento e índices operacionais de acordo com a qualidade da cadeia logística. O tráfego nas rodovias tende a normalidade em um curto período. Enquanto isso, reforçaremos os processos operacionais para minimizar os impactos direcionados à população”.

Mas parece que toda essa ação não comoveu a Petrobrás em relação à sua política de preços. Enquanto o governo não se pronunciar em relação a esse aumento, o que prevê a eliminação de tributos, consequentemente tendo uma redução no valor do combustível, a greve poderá se prorrogar. Os Correios depende desse sessamento para normalizar suas operações, não obtendo data prevista para retorno.

Via

Loading spinner

Sobre Uanderson Conceição

Chief executive officer (CEO) na empresa Meu-Smartphone. Youtuber, adora praticar Downhill Mountain Bike, entusiasta da natureza e acredita soberanamente em Deus.